RSS

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Lição 07: O Discípulo e o Perdão

Discipulado II – Lição 07: O Discípulo e o Perdão

- Iniciem a aula, cumprimentando os alunos, perguntem como passaram a semana. Verifiquem se há alunos novatos e/ou visitantes e apresentem cada um.
Se houver alunos ausentes, é interessante que vocês mantenham contato com eles, através de telefone ou email, durante a semana.
Vocês estão fazendo isto? Compreendem a importância desse ato?
- Falem do tema da aula: O Discípulo e o Perdão.
- Solicitem a 02 alunos que relatem, objetivamente, uma situação que vivenciaram sobre o perdão. Depois, comecem, a partir das histórias relatadas, organizar as ideias dos alunos sobre o  que seja perdão e também acrescentem outras informações que complementem a formulação deste conceito.
- Trabalhem sobre: Fonte do perdão, como  perdoar, conseguências do perdão.
- Utilizem a dinâmica “Abrindo o Coração”.
- Para concluir, leiam o texto “A História do Lápis”.

Dinâmica: Abrindo o Coração

Objetivo: Refletir sobre a importância e a eficácia do perdão.
Material: 01 chave de metal ou confeccionada de cartolina com tamanho ampliado.
Procedimento:
- Apresentem a chave e perguntem aos alunos: Para que serve uma chave?
- Aguardem as respostas. Normalmente, apenas é mencionado o ato de abrir, porém não se esqueçam que também a chave é utilizada para fechar.
- Falem que o perdão pode ser comparado a uma chave.
- Perguntem: O que a perdão pode abrir ou fechar?
Exemplos:
Abrir: reatar amizade, alívio de um peso, sentimento de liberdade, perdão de Deus, alegria etc.
Fechar: espaço para brigas, amarguras, ressentimentos, doenças, mente tranquila etc.
- Para finalizar leiam Mc 11.25 e 26.

Texto de Reflexão: A História do Lápis


                O menino olhava a avó escrevendo uma carta. A certa altura, perguntou:
                - Você está escrevendo uma história que aconteceu conosco? E por acaso, é uma história sobre mim?
                A avó parou a carta, sorriu, e comentou com o neto:
                 - Estou escrevendo sobre você, é verdade. Entretanto, mais importante do que as palavras, é o lápis que estou usando. Gostaria que você fosse como ele, quando crescesse. O menino olhou para o lápis, intrigado, e não viu nada de especial.
                -Mas ele é igual a todos os lápis que vi em minha vida!
                - Tudo depende do modo como você olha as coisas. Há cinco qualidades nele que, se você conseguir mantê-las, será sempre uma pessoa em paz com o mundo.
- Primeira qualidade: Você pode fazer grandes coisas, mas não deve esquecer nunca que existe uma mão que guia seus passos. Esta mão nós chamamos de Deus, e Ele deve sempre conduzi-lo em direção à Sua vontade.
- Segunda qualidade: De vez em quando eu preciso parar o que estou escrevendo e usar o apontador. Isso faz com que o lápis sofra um pouco, mas no final, ele está mais afiado. Portanto, saiba suportar algumas dores, porque elas o farão ser uma pessoa melhor.
- Terceira qualidade: O lápis sempre permite que usemos uma borracha para apagar aquilo que estava errado. Entenda que corrigir uma coisa que fizemos não é necessariamente algo mau, mas algo importante para nos manter no caminho da justiça.
- Quarta qualidade: O que realmente importa no lápis não é a madeira ou sua forma exterior, mas o grafite que está dentro. Portanto, sempre cuide daquilo que acontece dentro de você.
- Finalmente, a quinta qualidade do lápis: Ele sempre deixa uma marca. Da mesma maneira, saiba que tudo que você fizer na vida, irá deixar traços e procure ser consciente de cada ação.
Autor desconhecido.

0 comentários: