RSS

segunda-feira, 25 de abril de 2016

Adultos: Maravilhosa Graça – O evangelho de Jesus Cristo revelado na carta aos Romanos
Lição 05: A Maravilhosa Graça
Professoras e professores, observem estas orientações:
1 – Antes de abordar o tema da aula, é interessante que vocês mantenham uma conversa informal e rápida com os alunos:
- Cumprimentem os alunos.
- Dirijam-se aos alunos, chamando-os pelo nome, para tanto é importante uma lista nominal para que vocês possam memorizar.
- Perguntem como passaram a semana.
- Escutem atentamente o que eles falam.
- Observem se há alguém necessitando de uma conversa e/ou oração.
- Verifiquem se há alunos novatos e/ou visitantes e apresentem cada um.
2 - Este momento não é uma mera formalidade, mas uma necessidade. Ao escutá-los, vocês estão criando vínculo com os alunos, eles entendem que vocês também se importam com eles.
Outro fator importante para estabelecer vínculos com os alunos é através das redes sociais, adicionem os alunos e mantenham comunicação com eles.
3 - Após a chamada, solicitem ao secretário da classe a relação dos alunos ausentes e procurem manter contato com eles durante a semana, através de telefone ou email ou pelas redes sociais, deixando uma mensagem “in box” dizendo que sentiu falta dele(a) na EBD).
Os alunos se sentirão queridos, cuidados, perceberão que vocês sentem falta deles. Dessa forma, vocês estarão estabelecendo vínculos afetivos com seus alunos.
4 – Escolham um momento da aula, para mencionar os nomes dos alunos aniversariantes, parabenizando-os, dando-lhes um abraço, oferecendo um versículo.
5 – Fazendo o que foi exposto acima, somando-se a um professor motivado, associando a uma boa preparação de aula, com participação dos alunos, vocês terão bons resultados! Experimentem!
 6 – Agora, vocês iniciam o estudo da lição. Vejam estas sugestões:
- Apresentem o título da lição: A Maravilhosa Graça.
- Para introduzir o estudo da lição, utilizem a dinâmica “A Graça de Deus”.
- Lembrem-se de que ao trabalhar o conteúdo da lição, vocês devem oportunizar a participação do aluno, envolvendo-o através de exemplos e situações próprias de sua idade. Dessa forma, vocês estão contextualizando o tema com a vida do aluno, além de promover uma aprendizagem mais significativa.
Tenham uma excelente e produtiva aula!

Atenção! Professores da classe dos novos convertidos:
Vocês encontram sugestões para a revista Discipulando do 1o. ao 4o. ciclo(currículo novo), no marcador "Discipulando".
Para a revista 1 e 2 do Discipulado, vocês encontram  no marcador "Subsídio Pedagógico Discipulado 1" e "Subsídio Pedagógico Discipulado 2", do currículo antigo. Façam bom proveito!

Dinâmica: A Graça de Deus
Objetivo: Refletir sobre a Graça de Deus, a salvação, que é para todos.
Material:
01 caixa de presente
Balas ou chocolate(01 para cada aluno)
Versículo digitado em tamanho pequeno – Tito 2.11 “Porque a graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos e os homens”.
Frase digitada da largura da caixa: “Este presente não é somente seu, distribua com os colegas”.
Papéis para sorteio
Procedimento:
ANTES DA AULA:
- Fixem os versículos nas balas com grampeador, se preferir vocês podem colar.
- Escrever o nome dos alunos para o sorteio.
- Arrumem a caixa da seguinte forma:
As balas no fundo da caixa.
Por cima das balas, coloquem a frase digitada no papel da largura da caixa: “Este presente não é somente seu, distribua com os colegas”.
DURANTE A AULA:
- Apresentem a caixa de presentes.
- Falem que na caixa há algo muito importante.
- Falem: Quem deseja receber este presente?
- Façam o sorteio do presente.
- Orientem ao ganhador para que ele abra caixa de presentes.
O aluno deverá abri-la e realizar a orientação contida na caixa, já descrita acima.
- Depois, os alunos deverão ler o versículo que está pregado na bala.
- Para concluir falem, a salvação pela Graça é para todos, é um presente muito valioso que recebemos de Deus. Da mesma forma, que o presente(apresentem a caixa) não era somente para um, mas para todos vocês, assim também a salvação para todos quantos aceitam a Cristo.
Por Sulamita Macedo.

Texto Pedagógico
Os Pilares da Educação

            São quatro os pilares da educação, de acordo com o relatório que contém o eixo condutor para a educação do século XXI, organizado por diversos pesquisadores de várias partes do mundo, no final do século passado.
Conforme conclusão dos especialistas, os alunos, para que ajam de forma eficaz, precisam ter competências para o desenvolvimento do ser humano, tais como: “Aprender a Conhecer”, “Aprender a Fazer”, “Aprender a Conviver” e “Aprender a Ser”, convergindo para a educação integral.
De acordo com o dicionário, a palavra “pilar” tem o significado de coluna que sustenta uma construção. O conhecimento a ser ensinado para os alunos está em construção e deverão ser aprendidos mediante os pilares já mencionados.
Vejamos como estas aprendizagens “Aprender a Conhecer”, “Aprender a Fazer”, “Aprender a Conviver” e “Aprender a Ser” podem ser observadas e praticadas na Educação Cristã e principalmente na Escola Bíblica Dominical.
Antes, porém, é necessário que se entenda o que significa cada aprendizagem. Os pilares são apresentados separados para melhor compreensão do leitor, mas eles devem acontecer de forma conjunta.
Aprender a Conhecer se refere às competências para a compreensão daquilo que está sendo ensinado não de forma passiva, mas com participação do aluno para que a informação se transforme em conhecimento, não apenas vendo o que o professor está realizando, mas como ser ativo do seu próprio conhecimento. Pode-se também afirmar que “Aprender a Conhecer” é também “Aprender a Aprender”.
O conteúdo a ser ministrado na EBD deve ser de forma que não seja unilateral, isto é, somente o professor fala sem a participação dos alunos. O docente deve proporcionar espaço para o aluno ao ser instigado, busque o conhecimento, através de situações diversas que possibilitem a apropriação do conhecimento. A Palavra de Deus recomenda: “Antes crescei na graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo”(II Pe 3.18).
Aprender a Fazer se refere à aprendizagem para as atividades do cotidiano da sala de aula para que o aluno entenda e descubra o conhecimento através das práticas realizadas durante o processo de ensino.
Na educação Cristã, o conteúdo a ser ensinado deve ser forma que saia do campo teórico e o aluno possa transformar este conhecimento em prática cristã. O professor precisa contextualizar o que está ensinando com a vida cristã do seu aluno, para que diariamente ponha em prática os ensinamentos bíblicos. O apóstolo Paulo recomenda: “O que também aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e vistes em mim, isso fazei”(Filipenses 4:9).
Aprender a Conviver se refere a ter oportunidade para se relacionar com seus pares, com os diferentes, evitar conflitos, respeitar as opiniões divergentes, relacionar-se de forma adequada com as pessoas, através de regras básicas de convivência.
A Escola Dominical é um espaço educativo no qual a convivência e a comunhão devem acontecer a contento. A convivência pode e deve se realizar dentro e fora da EBD. Os relacionamentos precisam ser alargados e ao mesmo tempo estreitados e solidificados com a socialização entre os professores, alunos e demais componentes. O apóstolo Tiago orienta: “Quem dentre vós é sábio e entendido? Mostre pelo seu bom trato as suas obras em mansidão de sabedoria”(3:13).
Aprender a Ser se refere ao desenvolvimento da responsabilidade pessoal, ética, moral, reflexão crítica, iniciativa, autonomia, criatividade, valorização do outro.
Na Escola Dominical, estes pontos elencados acima podem ser trabalhados nas atividades propostas na aula, para tanto o professor deve proporcionar situações que podem favorecer o “aprender a ser”, tomando atitudes relevantes diante das experiências da sala de aula. A Bíblia adverte: “Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo. Não atente cada um para o que é propriamente seu, mas cada qual também para o que é dos outros”(Filipenses 2. 3,4).
Poucos são os professores da Escola Bíblica Dominical que têm consciência da importância desses pilares para formação integral dos alunos.  Observa-se que estes pilares estão sumidos ou quase desaparecidos de muitas classes de EBD. A Bíblia indaga: “Se forem destruídos os fundamentos, que poderá fazer o justo?”(Salmo 11:3). O que os professores, coordenação pedagógica, diretores de EBD podem fazer diante da ausência desses pilares no ensino?
É necessário ter consciência de que os pilares são importantes para a construção do conhecimento na Educação Cristã, pois a Palavra de Deus ao ser ensinada transformará a vida do aluno, quando ele entende e torna-se prático para ele. Outro ponto a ser mencionado é a mudança de mentalidade por parte dos professores no sentido de entender e agir para que a aprendizagem se concretize através da busca pelo conhecimento, com atitudes reflexivas diante das situações propostas, com respeito ao outro na convivência e na diversidade, formando o ser integral.
Sendo assim, as mudanças ocorrerão, pois trabalhar dentro desta perspectiva implica em entender que ensinar vai além do transmitir informações e do acúmulo de conhecimento, dissociado da vida do aluno.  Para que isto ocorra de forma exitosa é importante a escolha de metodologias que desencadeiem experiências de aprendizagem de conhecer, de fazer, de conviver e de ser.

Por Sulamita Macedo.
Jovens: Eu e minha casa – Orientações da Palavra de Deus para a família do século XXI
Lição 05: Deixando pai e mãe
Professoras e professores, observem estas orientações:
1 – Antes de abordar o tema da aula, é interessante que vocês mantenham uma conversa informal e rápida com os alunos:
- Cumprimentem os alunos.
- Dirijam-se aos alunos, chamando-os pelo nome, para tanto é importante uma lista nominal para que vocês possam memorizar.
- Perguntem como passaram a semana.
- Escutem atentamente o que eles falam.
- Observem se há alguém necessitando de uma conversa e/ou oração.
- Verifiquem se há alunos novatos e/ou visitantes e apresentem cada um.
2 - Este momento não é uma mera formalidade, mas uma necessidade. Ao escutá-los, vocês estão criando vínculo com os alunos, eles entendem que vocês também se importam com eles.
Outro fator importante para estabelecer vínculos com os alunos é através das redes sociais, adicionem os alunos e mantenham comunicação com eles.
3 - Após a chamada, solicitem ao secretário da classe a relação dos alunos ausentes e procurem manter contato com eles durante a semana, através de telefone ou email ou pelas redes sociais, deixando uma mensagem “in box” dizendo que sentiu falta dele(a) na EBD).
Os alunos se sentirão queridos, cuidados, perceberão que vocês sentem falta deles. Dessa forma, vocês estarão estabelecendo vínculos afetivos com seus alunos.
4 – Escolham um momento da aula, para mencionar os nomes dos alunos aniversariantes, parabenizando-os, dando-lhes um abraço, oferecendo um versículo.
5 – Fazendo o que foi exposto acima, somando-se a um professor motivado, associando a uma boa preparação de aula, com participação dos alunos, vocês terão bons resultados! Experimentem!
6 – Agora, vocês iniciam o estudo da lição. Vejam estas sugestões:
- Apresentem o título da lição: Deixando pai e mãe.
- Para introduzir o estudo do tema, utilizem a dinâmica “Quem casa, quer casa ou apê”.
- Lembrem-se de que ao trabalhar o conteúdo da lição, vocês devem oportunizar a participação do aluno, envolvendo-o através de exemplos e situações próprias de sua idade. Dessa forma, vocês estão contextualizando o tema com a vida do aluno, além de promover uma aprendizagem mais significativa.
Tenham uma excelente e produtiva aula!

Dinâmica: Quem casa, quer casa ou apê
Objetivo: Introduzir o estudo sobre “deixando pai e mãe”.
Material:
Nomes digitados: Pai, mãe, filho ou filha
Fita adesiva
02 metros de fita(1m + 1m separados)
Procedimento:
- Escolham 03 alunos e peçam que se posicionem à frente da classe.
- Falem para a turma: 01 vai representar o pai, 01 vai representar a mãe e 01 vai representar um filho ou uma filha.
- Identifiquem as 03 pessoas, com um dos nomes: Pai, mãe, filho ou filha.
O filho ou filha deve permanecer no meio, entre o pai e a mãe.
- Falem: Nós temos aqui uma família, formada por pai, mãe e filho ou filha. Os três possuem vínculos afetivos, emocionais, maternais, paternais.
- Agora, coloquem uma fita unindo o braço do pai com o braço do filho ou filha e outra fita unindo o braço da mãe com o filho ou filha.
- Falem: Aqui temos uma representação da união e vínculos que os 03 possuem. Mas, quando o filho ou filha casa-se, a Bíblia recomenda em Gênesis 2.24:
“Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne”.
- Perguntem: O que significa “deixar pai e mãe”?
Aguardem as respostas.
- Depois, enfatizam a importância da formação de um novo núcleo familiar, deixando pai e mãe, não esquecendo de que os pais devem continuar sendo honrados pelos filhos.
- Agora, retirem os laços entre o pai, a mãe e o filho ou filha e falem: a retirada é para representar o afastamento geográfico, a independência financeira e uma estrutura emocional diferente para a formação de um novo lar.
Nesse momento, outro aluno ou aluna deve ser chamado e se unirá pelo laço do matrimônio com a filha ou filha da família já apresentada(colocar um laço no casal, unindo 02 braços).
- Agora, vamos estudar o conteúdo da lição.
Por Sulamita Macedo.
Pré-adolescentes – Currículo do Ano 2: Dons espirituais e o Fruto do Espírito
Lição 05: Os dons de curar
Professoras e professores, observem estas orientações:
1 - Antes de abordar o tema da aula, é interessante que vocês mantenham conversa informal e rápida com os alunos:
- Cumprimentem os alunos.
- Dirijam-se aos alunos, chamando-os pelo nome, para tanto é importante uma lista nominal para que vocês possam memorizar.
- Perguntem como passaram a semana.
- Escutem atentamente o que eles falam.
- Observem se há alguém necessitando de uma conversa e/ou oração.
- Verifiquem se há alunos novatos e/ou visitantes e apresentem cada um.
2 - Este momento não é uma mera formalidade, mas uma necessidade. Ao escutá-los, vocês estão criando vínculo com os alunos, eles entendem que vocês também se importam com eles.
Outro fator importante para estabelecer vínculos com os alunos é através das redes sociais, adicionem os alunos e mantenham comunicação com eles.
3 - Após a chamada, solicitem ao secretário da classe a relação dos alunos ausentes e procurem manter contato com eles durante a semana, através de telefone ou email ou pelas redes sociais, deixando uma mensagem “in box” dizendo que sentiu falta dele(a) na EBD).
Os alunos se sentirão queridos, cuidados, perceberão que vocês sentem falta deles. Dessa forma, vocês estarão estabelecendo vínculos afetivos com seus alunos.
4 – Escolham um momento da aula, para mencionar os nomes dos alunos aniversariantes, parabenizando-os, dando-lhes um abraço, oferecendo um versículo.
5 – Fazendo o que foi exposto acima, somando-se a um professor motivado, associando a uma boa preparação de aula, com participação dos alunos, vocês terão bons resultados! Experimentem!
6 – Agora, vocês iniciam o estudo da lição. Vejam estas sugestões:
- Apresentem o título da lição: Os dons de curar.
- Introduzam o estudo do tema, utilizando a dinâmica “Um Santo Remédio”.
- Em seguida, trabalhem o conteúdo da lição.  Lembrem-se de que vocês devem oportunizar a participação do aluno, envolvendo-o através de exemplos e situações próprias de sua idade. Dessa forma, vocês estão contextualizando o tema com a vida do aluno, além de promover uma aprendizagem mais significativa.
Tenham uma excelente e produtiva aula!

Dinâmica: Um Santo Remédio
Objetivo:
Refletir sobre a atitude do cristão diante das enfermidades.
Introduzir o estudo sobre os dons de curar.
Material:
06 caixas de remédio cobertos com papel
Palavras/expressões digitadas: Confiar no Senhor, Oração, Leitura Bíblica, Fé, Crer que Deus opera milagres, Aguardar o tempo de Deus.
Procedimento:
- Falem: Nesta aula, vamos estudar sobre os dons de curar. As enfermidades estão sendo sentidas em muitas famílias.
- Peçam para que os alunos mencionem os nomes das doenças que eles podem estar sendo vítimas como alguém próximo a eles.
Anotem os nomes no quadro.
- Perguntem: Qual o remédio para combatê-las?
- Distribuam para os alunos as 06 caixas de remédio, que deverão conter as palavras(uma em cada caixa) já mencionadas no item “material”.
- Orientem para cada aluno abrir, um de cada vez e ler par a turma.
- Enfatizem que há pessoas que possuem o dom da cura e que elas podem orar pelo doente.
- Leiam Salmo 27.14 “Espera no Senhor, anima-te, e ele fortalecerá o teu coração; espera pois no Senhor”.

Por Sulamita Macedo.
Adolescentes – Currículo do Ano 2: A Família Cristã
Lição 05: Como conviver com o diferente?
Professoras e professores, observem estas orientações:
1 - Antes de abordar o tema da aula, é interessante que vocês mantenham uma conversa informal e rápida com os alunos:
- Cumprimentem os alunos.
- Dirijam-se aos alunos, chamando-os pelo nome, para tanto é importante uma lista nominal para que vocês possam memorizar.
- Perguntem como passaram a semana.
- Escutem atentamente o que eles falam.
- Observem se há alguém necessitando de uma conversa e/ou oração.
- Verifiquem se há alunos novatos e/ou visitantes e apresentem cada um.
2 - Este momento não é uma mera formalidade, mas uma necessidade. Ao escutá-los, vocês estão criando vínculo com os alunos, eles entendem que vocês também se importam com eles.
Outro fator importante para estabelecer vínculos com os alunos é através das redes sociais, adicionem os alunos e mantenham comunicação com eles.
3 - Após a chamada, solicitem ao secretário da classe a relação dos alunos ausentes e procurem manter contato com eles durante a semana, através de telefone ou email ou pelas redes sociais, deixando uma mensagem “in box” dizendo que sentiu falta dele(a) na EBD).
Os alunos se sentirão queridos, cuidados, perceberão que vocês sentem falta deles. Dessa forma, vocês estarão estabelecendo vínculos afetivos com seus alunos.
4 – Escolham um momento da aula, para mencionar os nomes dos alunos aniversariantes, parabenizando-os, dando-lhes um abraço, oferecendo um versículo.
5 – Fazendo o que foi exposto acima, somando-se a um professor motivado, associando a uma boa preparação de aula, com participação dos alunos, vocês terão bons resultados! Experimentem!
6 – Agora, vocês iniciam o estudo da lição. Vejam estas sugestões:
- Apresentem o título da lição: Como conviver com o diferente?
- Em seguida, trabalhem o conteúdo da lição.  Lembrem-se de que vocês devem oportunizar a participação do aluno, envolvendo-o através de exemplos e situações próprias de sua idade. Dessa forma, vocês estão contextualizando o tema com a vida do aluno, além de promover uma aprendizagem mais significativa.
- Para finalizar, utilizem a dinâmica “Convivência em Revisão!”.
Tenham uma excelente e produtiva aula!

Dinâmica: Convivência em Revisão!
Objetivo:
Analisar nossas ações no âmbito familiar.
Material:
01 caixa, 01 tesoura, 01 prego, 01 lixa, 01 chave, 01 cotonete.
Procedimento:
- Fale que dentro da caixa há vários objetos, que poderão ou não ser utilizados, dependendo tão somente de nossa iniciativa. Então, comecem a mostrar cada um deles, perguntando para que servem. Por exemplo:
Tesoura: cortar, separar, dividir, retirar excessos.
Prego: Fixar, unir.
Lixa: Retirar as asperezas, os excessos.
Chave: Abrir ou fechar.
Cotonete: Limpar ouvido.
- Agora, perguntem: Como estes objetos, figuradamente, podem ser utilizados para que a convivência familiar seja melhorada?
Exemplos:
Tesoura: Cortar, separando o que deve permanecer daquilo que deve ser rejeitado.
 Prego: Fixar a Palavra de Deus nas nossas mentes, unindo o que lemos com as ações que executamos.
Lixa: Retirar o que está em excesso, deixando limpo sem “asperezas”.
Chave: Abrir espaço para ações benéficas. Fechar espaço para atitudes destrutivas promotoras de desavenças.
Cotonete: Retirar aquilo que nos impede de escutar o outro.
- Para finalizar, façam um breve comentário sobre os benefícios e malefícios causados pelas atitudes dos membros familiares, proporcionando ou não ambiente de boa convivência.

Por Sulamita Macedo.
Juvenis - Currículo do Ano 2: Eu, um líder
Lição 05: O Sumo-sacerdote e os sacerdotes
Professoras e professores, observem estas orientações:
1 - Antes de abordar o tema da aula, é interessante que vocês mantenham uma conversa informal e rápida com os alunos:
- Cumprimentem os alunos.
- Dirijam-se aos alunos, chamando-os pelo nome, para tanto é importante uma lista nominal para que vocês possam memorizar.
- Perguntem como passaram a semana.
- Escutem atentamente o que eles falam.
- Observem se há alguém necessitando de uma conversa e/ou oração.
- Verifiquem se há alunos novatos e/ou visitantes e apresentem cada um.
2 - Este momento não é uma mera formalidade, mas uma necessidade. Ao escutá-los, vocês estão criando vínculo com os alunos, eles entendem que vocês também se importam com eles.
Outro fator importante para estabelecer vínculos com os alunos é através das redes sociais, adicionem os alunos e mantenham comunicação com eles.
3 - Após a chamada, solicitem ao secretário da classe a relação dos alunos ausentes e procurem manter contato com eles durante a semana, através de telefone ou email ou pelas redes sociais, deixando uma mensagem “in box” dizendo que sentiu falta dele(a) na EBD).
Os alunos se sentirão queridos, cuidados, perceberão que vocês sentem falta deles. Dessa forma, vocês estarão estabelecendo vínculos afetivos com seus alunos.
4 – Escolham um momento da aula, para mencionar os nomes dos alunos aniversariantes, parabenizando-os, dando-lhes um abraço, oferecendo um versículo.
5 – Fazendo o que foi exposto acima, somando-se a um professor motivado, associando a uma boa preparação de aula, com participação dos alunos, vocês terão bons resultados! Experimentem!
6 – Agora, trabalhem o conteúdo da lição. Vejam as sugestões abaixo:
- Escrevam no quadro o tema da aula: O Sumo-sacerdote e os sacerdotes.
- Para introduzir o estudo da lição, utilizem a dinâmica “Sacerdote”.
- Em seguida, trabalhem o conteúdo da lição.  Lembrem-se de que vocês devem oportunizar a participação do aluno, envolvendo-o através de exemplos e situações próprias de sua idade. Dessa forma, vocês estão contextualizando o tema com a vida do aluno, além de promover uma aprendizagem mais significativa.
Tenham uma excelente e produtiva aula!

Dinâmica: Sacerdote
Objetivo: Refletir sobre as atitudes dos sacerdotes.
Material:
Um pedaço de tecido para cobrir os olhos, para a metade da turma.
Procedimento:
- Organizar os alunos em duplas. Um vai representar o “sacerdote” e o outro será um seguidor.
- Peçam para que os seguidores, coloquem uma faixa cobrindo os olhos.
- Orientem os sacerdotes para que deem comandos para os seguidores  executarem, como por exemplo: Siga em frente! Dobre à direita! Dobre à esquerda! Dê 03 passos para frente! Dê 02 passos para trás! etc.
Com estes e outros comandos, os “sacerdotes” podem de forma deliberada induzir o aluno ao erro e/ou ao acerto. Dessa forma, vocês poderão analisar sobre os verdadeiros e falsos ensinos, enfatizando a importância de conhecermos a Palavra de Deus.
- Depois, façam a troca de papéis, isto é, o “sacerdote” passará a ser o seguidor e deverá ser repetidos comandos.
- Retirem a venda do aluno e façam as seguintes perguntas:
Como você se sentiu sendo guiado pelo “sacerdote”?
O “sacerdote” transmitiu confiança?
- Reflitam sobre as respostas dos seguidores, enfatizando a importância da segurança, confiança que devemos ter com os verdadeiros ensinos dos sacerdotes.
- Pode acontecer que os seguidores não executem alguns comandos que os sacerdotes falaram, porque pode confundir direita com esquerda e/ou não prestar atenção ao que está sendo orientado.
Esta atitude proporcionará a vocês a oportunidade de falar que os seguidores precisam estar atentos se a voz do sacerdote representa comandos verdadeiros ou falsos, tendo como padrão a Palavra de Deus.
- Finalizem, lendo: João 10.1 a 5:
“Na verdade, na verdade vos digo que aquele que não entra pela porta no curral das ovelhas, mas sobe por outra parte, é ladrão e salteador.
Aquele, porém, que entra pela porta é o pastor das ovelhas.
A este o porteiro abre, e as ovelhas ouvem a sua voz, e chama pelo nome às suas ovelhas, e as traz para fora.
E, quando tira para fora as suas ovelhas, vai adiante delas, e as ovelhas o seguem, porque conhecem a sua voz.
Mas de modo nenhum seguirão o estranho, antes fugirão dele, porque não conhecem a voz dos estranhos”.
Ideia Original desconhecida.
Esta versão da dinâmica por Sulamita Macedo.